.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

'' Cultura SNB ''


John Zamudio
         John Zamudio é um membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Muitas pessoas chamam os membros desta igreja de “Mórmons“, embora seja apenas um termo inapropriado implicando que os Mórmons adoram alguém que não seja Jesus Cristo.
       John Zamudio nasceu em Lima, Peru, e cresceu no distrito de San Luis. Ele é o segundo de 5 filhos. Quando ele tinha apenas dois anos de idade, John sofreu um grave acidente em casa, que resultou em sérias queimaduras em ambas as mãos e deixaram cicatrizes permanentes. Este evento teve um papel fundamental para modelar a vida de John. Porque as crianças pegavam muito no pé dele por causa de suas mãos, ele começou a brincar sozinho. Eventualmente, ele encontrou grande conforto ao desenhar e desenvolveu uma grande habilidade. Através de seus belos desenhos, ele veio a se entender bem com outras crianças e passou a se sentir mais aceito.
     Aos 17 anos, John foi aceito na Escola Nacional de Belas Artes de Lima, Peru, onde ele aprendeu uma grande variedade de técnicas artísticas. Ele viajou para estudar pintura a óleo no Museu de Arte de Quinta Vergara em Vina Del Mar, Chile, em 1991. Entretanto, ele eventualmente se tornou mais atraído pelo mundo e por uma carreira mais lucrativa como Administrador de Empresas. Ele colocou de lado os seus sonhos de se tornar um artista para seguir novas oportunidades, mas esta mudança no estilo de vida, que ele perseguiu por 15 anos, não agradou a John. Ele sentia falta da tranquilidade e paz de mente que ele havia encontrado nas pinturas e sentiu um vazio distinto em sua vida.
      Entretanto, em 2002, John chegou ao ponto de virada da sua vida. Ele perdeu tudo e esteve desestruturado emocionalmente por quatro anos. Ele sofreu com depressão e se sentia completamente desiludido. Ele sentia que não tinha nada para mostrar depois de tantos anos de trabalho. Um dia, em meio a sua profunda depressão, ele se deparou com uma caixa com seus antigos aparatos de pintura e se sentiu inspirado a voltar a pintar sem medo de falhar. Ele decidiu lutar por seus sonhos.


O Sonho de Leí por John Zamudio
      John havia se batizado como membro de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (com frequência chamada, erroneamente, de “Igreja Mórmon“) aos 15 anos de idade, e havia até mesmo servido uma missão para a Igreja entre 19 e 21 anos. A primeira pintura que ele fez após a sua desilusão foi o Sonho de Leí, do Livro de Mórmon. Para ele, esta pintura representava um estágio de escuridão e tristeza em sua vida, que ele foi capaz de deixar para traz através de inspiração. John inscreveu a pintura em uma competição internacional organizada pelo Museu de Arte e Historia de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em 2003, competição na qual a pintura de John recebeu uma premiação e ele foi reconhecido pelo seu talento.
     John se sente muito grato pelos desafios em sua vida, os quais ele sente que o levaram a ficar mais atento ao Espírito e que influenciam seu trabalho hoje em dia. Embora John tenha personalidade extrovertida e alegre, ele é quieto e tímido. Ele encontra alegria em levar uma vida disciplinada, seguindo os princípios de boa saúde determinadas na Palavra de Sabedoria, uma lei de saúde de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias. Ele goza de saúde física, mental e espiritual, as quais resultam de seguir estes conselhos e de se manter ativo. John sente que uma grande parte da sua inspiração é um produto da harmonia de sua saúde física, mental e espiritual.
   Agora, como um artista religioso internacionalmente reconhecido, John exibe seus trabalhos regularmente no Museu de Arte e Historia em Salt Lake City, Utah. John se lembra de Seu Salvador e as bênçãos que Deus lhe deu, sendo que ele tenta retratá-las todas em seu trabalho. Ele certamente vai viver através de seu belo trabalho artístico. John foi entrevistado recentemente pela rede de TV BYU International Television, como o primeiro artista hispânico e proeminente em trabalhos religiosos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário