.

sábado, 29 de setembro de 2012

Reportagens e dicas para o trabalhador


Com a temporada de vestibulares aberta, muitos jovens começam a se preparar para enfrentar as provas nas universidades de todo o Brasil e decidir o futuro profissional. Medicina, Engenharia e Direito continuam sendo as profissões mais procuradas, mas a tradição não é mais o principal atrativo desses cursos. Hoje, o que mais atrai é a base que esses cursos dão para as novas carreiras.




O curso mais concorrido nas principais universidades do país é o de Medicina. Depois de seis anos, os alunos se formam clínicos gerais e podem escolher alguma das 53 especializações que o curso oferece. “Ele pode fazer um trabalho de administração em saúde, em perícia médica, em psiquiatria forense, medicina do sono, medicina do tráfego ou medicina paliativa”, aponta Fernando Reis, professor de Medicina.



A concorrência também é grande para quem tenta Engenharia, onde o profissional formado pode apostar em novas áreas como robótica, energias alternativas e reciclagem de materiais, como lixo radioativo. Já para quem escolhe estudar Direito, as novidades são as carreiras especializadas em causas ambientais, cibernéticas e as que discutem as implicações da biotecnologia.



“O profissional do futuro tem que saber realizar interfaces com vários outros campos do conhecimento, na tentativa de superar problemas que são grandes e inéditos. Tem que ser um profissional com muita imaginação e criatividade”, explica Carlos Antônio Brandão, diretor do Instituto de Estudos Avançados Transdisciplinares da UFMG.



Para o especialista em ensino superior, Roberto Macedo, as escolas, em geral, estão despreparadas para acompanhar o ritmo das mudanças no mundo do trabalho, atender às expectativas profissionais concretas e antecipar mudanças.



Roberto Macedo, especialista em ensino superior, tirou dúvidas sobre a escolha da carreira. Clique no vídeo ao lado e veja as perguntas enviadas pelos telespectadores.



Pesquisa realizada pela consultoria Michael Page em cinco países, entre eles o Brasil, mostra as novas carreiras que estão em alta no mercado de trabalho:



Gerente de treinamento de varejo

O que faz: treina o funcionário de acordo com as estratégias de venda da empresa.

Formação: administração de empresas, recursos humanos ou psicologia.

Salário médio: entre 8 mil e 12 mil reais.



Gerente de comunidade

O que faz: atua na comunicação com o consumidor por meio das redes sociais, controla as reclamações, dá retorno e vai atrás das soluções.

Formação: marketing, publicidade e propaganda.

Salário médio: entre 7 mil e 10 mil reais.



Gerente de marketing on line

O que faz: elabora estratégias de marketing nas redes sociais.

Formação: marketing, publicidade e propaganda.

Salário médio: pode chegar a 15 mil reais.



Gestor de reestruturação

O que faz: trabalha em bancos e empresas com o objetivo de organizar a vida financeira das corporações.

Formação: administração de empresas, economia e engenharia com especialização em finanças.

Salário médio: 14 e 24 mil reais.



Gerente de projetos

O que faz: atua no meio de campo entre o departamento de TI e as demais áreas da empresa. Formação: engenharia e informática.

Salário médio: entre 12 e 20 mil reais.



Gerente de relações governamentais

O que faz: é o interlocutor da empresa junto a órgãos governamentais e agências reguladoras, como Anatel e Aneel. Sua área de atuação é vasta: inclui desde questões legais até assuntos socioambientais.

Formação: comunicação, direito, administração de empresas, relações internacionais ou ciências sociais, de acordo com a área de atuação da companhia.

Salário médio: entre 12 e 45 mil reais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário