O Livro de Mórmon - Uma Liahona Atual em Nossa Vida


dos Setenta
O Livro de Mórmon pode ser para nós aquilo que a Liahona foi para a família de Leí.

Em 1 Néfi 16:10, encontramos o relato de como Leí encontrou a bússola que os guiou pelo deserto:

“E aconteceu que meu pai se levantou pela manhã e, saindo à porta da tenda, notou, com grande espanto, que havia no chão uma esfera esmeradamente trabalhada; e era feita de latão puro. E no seu interior havia duas agulhas; e uma delas indicava-nos o caminho a seguir no deserto”.

Néfi descreve também como essa esfera funcionava: “E aconteceu que eu, Néfi, vi os ponteiros que estavam na esfera e eles moviam-se conforme a fé e a diligência e a atenção que lhes dávamos” (1 Néfi 16:28).

De acordo com a fé, a diligência e a atenção que a família de Leí dava às instruções que apareciam nos ponteiros dessa esfera, eles eram guiados e conduzidos “aos lugares mais férteis do deserto” (1 Néfi 16:16).

Essa esfera, bússola ou Liahona como conhecemos, foi preservada por todos os profetas que escreveram o Livro de Mórmon.

Um dos relatos que mais aprecio no Livro de Mórmon sobre o simbolismo dessa Liahona é o relato de Alma a seu filho Helamã:

“Pois eis que é tão fácil dar ouvidos à palavra de Cristo, que te apontará um caminho reto para a felicidade eterna, como o foi para nossos pais dar atenção a essa bússola, que lhes apontava um caminho reto para a terra prometida.
E pergunto agora: Não há nisto um simbolismo? Pois tão certamente quanto este guia trouxe nossos pais para a terra prometida por terem seguido seu curso, também as palavras de Cristo, se lhes seguirmos o curso, nos conduzirão para além deste vale de tristezas, a uma terra de promissão muito melhor” (Alma 37:44-45).

Como sabemos, o Livro de Mórmon contém as “palavras de Cristo” (2 Néfi 32:3) e ele não foi escrito para os nefitas ou lamanitas, mas para nós.

O Livro de Mórmon é verdadeiramente uma bússola em nossa vida, nos indica também o caminho a seguir e nos leva às partes mais férteis do deserto de nossa vida.

Relembrando as palavras do Profeta Joseph Smith: “Eu disse aos irmãos que o Livro de Mórmon era o mais correto de todos os livros da Terra e a pedra fundamental de nossa religião; e que seguindo seus preceitos o homem se aproximaria mais de Deus do que seguindo os de qualquer outro livro”.

Temos sido incentivados por todos os profetas desta dispensação a estudarmos o Livro de Mórmon diariamente, ponderarmos sobre seus ensinamentos e, então, buscarmos ao Senhor para obtermos a confirmação de sua veracidade.

Ao fazermos isso, não apenas receberemos confirmação de sua autenticidade, mas incrivelmente receberemos orientação e direção para os problemas e desafios específicos de nossa vida.

Sentiremos o desejo de sermos instrumentos nas mãos do Senhor para compartilhar o evangelho.

Nossa compreensão sobre a Expiação de Jesus Cristo será amplamente expandida, nosso desejo de servir será fortalecido, nosso amor por nossa família aumentará e teremos mais facilidade de sentir e seguir o Espírito.

O Livro de Mórmon pode ser a bússola de nossa vida se dermos atenção aos seus ensinamentos, tivermos fé neles e formos diligentes em seu cumprimento.

Prometo sem hesitar que, se fizermos isso, seremos, particularmente e como família, conduzidos e guiados pelo Senhor à vida eterna, que é a nossa terra prometida.

Comentários