.

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Bispo Quebra Sigilo, e Denuncia Abuso Sexual.



O que você faria se soubesse de um crime horrendo?

Isto nos leva a uma reflexão a respeito daquilo que fazemos e deixamos de fazer, pois a partir do instante que chegamos a essa conclusão, muitas das coisas que não estamos fazendo e a respeito das quais achávamos estar tomando a atitude correta, está nos levando a ser tão pecadores quanto as pessoas que cometem seus erros, pois conhecimento implica em responsabilidade. Quando omitimo-nos de fazer o bem, pecamos contra Deus e a sua justiça (Lc 10.25-37; Jo 15.22,24). Omissão, nada mais é do que nos silenciar diante de determinadas coisas, ficarmos mudos diante de fatos onde deveríamos nos posicionar, ou deixar de lado aquilo que não poderia ser deixado.



Foi o que Aconteceu no dia 25/04/2017. A Câmara Criminal Nacional da capital Buenos Aires, recusou-se a anular o processo penal por abuso sexual de uma menina que confessou o segredo em uma confissão ao um bispo Mórmon. Para os juízes, o bispo fez a melhor escolha ao encaminhar a menina para as autoridades locais; porque a criança estava em risco de novos abusos.

Segundo relatos, o religioso pertence à Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias e exerce no bairro de Vélez Sarsfield. Um dos fiéis que frequentava a Igreja Mórmon confessou que ele abusava sexualmente da filha de 13 anos. Após a confissão, o Bispo contou a mãe da menina. A menor confirmou o abuso, ambas fizeram a denúncia ao Departamento de Violência Doméstica.

Após a denúncia, um processo criminal foi aberto e foi feito um pedido de prisão do acusado, que fugiu para o Paraguai, mas foi detido pela policia do País e agora aguarda o processo de extradição nas próximas semanas. Enquanto isso, a defesa pediu a anulação da investigação porque, como explicou, as ações foram promovidas a partir da violação do segredo da confissão feita ao  Bispo.

Os juízes Mariano Mauro Scotto e DiVito, encarregados do caso, decidiu não levar a nulidade, "sem prejuízo das consequências de ordem religiosa" que poderiam cair sobre o Bispo. A decisão foi tomada porque, de acordo com os juízes, a revelação da menina serviu para evitar uma possível repetição de novas agressões sexuais. O tribunal pretende continuar com o processo judicial sem qualquer irregularidade "uma vez que a queixa inicial foi concretizada pela mãe da menina."

O Bispo da Ala local será convidado como testemunha, Já que ele também ouviu a confissão do próprio pai da vitima.

_____________________________



Colunista- Elias Rozendo

Nasceu no dia 14 de Fevereiro de 1990, na cidade de São João Del Rei- MG. Conheceu a Igreja em Manaus e foi batizado em 2005. Fez seminário e cursa o instituto. Serviu na Missão Brasil Santa Maria, onde recebeu a inspiração para escrever o seu primeiro livro ' A VERDADE SOBRE OS MÓRMONS''.É apaixonado por comunicação.





_____________________________

- Fonte:

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Liberdade Religiosa: Suprema Corte da Rússia decide contra as Testemunhas de Jeová

Depois de duas semanas e seis dias de audiências, a Suprema Corte da Federação Russa decidiu hoje a favor do pedido do Ministério da Justiça de fechar o Centro Administrativo das Testemunhas de Jeová na Rússia e as 395 associações jurídicas usadas pelas Testemunhas de Jeová naquele país.

Yaroslav Sivulskiy, um porta-voz das Testemunhas de Jeová na Rússia, disse: “Estamos muito decepcionados com o que aconteceu e profundamente preocupados em como isso vai afetar nossas atividades religiosas. Vamos apelar da decisão. Esperamos que nossos direitos protegidos por lei como grupo religioso pacífico sejam plenamente restabelecidos o mais rápido possível.”

As Testemunhas de Jeová na Rússia têm 30 dias para apelar da decisão. Essa apelação será então examinada por uma comissão de três pessoas.

A Igreja de Jesus Cristo Dos Santos Dos Últimos Dias, recentemente incentivou leis e esforços para preservar a liberdade religiosa, para que as pessoas com crenças diferentes possam ser respeitadas e tratadas com justiça. Numa entrevista coletiva na sede da Igreja em Salt Lake City, Utah, dia 27 de janeiro, o Élder Dallin H. Oaks do Quórum dos Doze Apóstolos declarou o seguinte:
1Reivindicamos para todas as pessoas o direito concedido por Deus e garantido pela constituição de exercerem sua religião, de acordo com os ditames de sua própria consciência, sem prejudicarem a saúde ou a segurança dos outros.
2Reconhecemos que a mesma liberdade de consciência deve se aplicar a homens e mulheres do mundo inteiro, para que sigam a fé religiosa de sua escolha, ou nenhuma, se assim o desejarem.

3Cremos que devem ser elaboradas leis que visem alcançar um equilíbrio na proteção da liberdade de todas as pessoas, respeitando as que têm valores diferentes.

4Rejeitamos a perseguição e a retaliação de qualquer espécie, inclusive a perseguição com base em raça, origem étnica, crenças religiosas, situação econômica ou diferenças de sexo ou de orientação sexual.

“Conclamamos o governo local, estadual e federal a servir a todo o povo, ao aprovar leis que protejam as liberdades religiosas vitais para as pessoas, famílias, igrejas e outros grupos religiosos, enquanto também protejam os direitos dos cidadãos LGBT em áreas como moradia, emprego e acomodação pública em hotéis, transporte e restaurantes — proteções que não estão disponíveis em muitas partes do país.

“Temos de encontrar maneiras de demonstrar respeito pelas outras pessoas cujas crenças, valores e comportamentos diferem dos nossos, ao mesmo tempo, sem nunca sermos forçados a negar ou abandonar nossas próprias crenças, valores e comportamentos nesse processo”, disse ele. “Os direitos de cada cidadão são mais bem preservados quando as pessoas e os grupos preservam para outras pessoas os direitos que desejam ser preservados para si mesmos”.

O Élder Holland referiu-se a declaração oficial feita pela Igreja em 1835, uma declaração formalmente incorporada a Doutrina e Convênios como a seção 134, que diz: “Primeiro, que todos nós somos responsáveis perante Deus pelo exercício responsável de nossas crenças religiosas, e conclamamos nossos concidadãos a serem responsáveis no exercício de sua liberdade religiosa. Em segundo lugar, que a escritura define a função adequada do governo para proteger o interesse público sem transgredir o livre exercício, que é chamado de ‘a liberdade da alma’. 180 anos depois, a determinação de A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias para que sejamos cidadãos responsáveis ao defender a liberdade religiosa, permanece inalterada”.
Opinião - Colunista - Elias Rozendo
“Seja Mórmon, seja Católico, seja Budista, seja do Candomblé, seja também Protestantes e até mesmo Testemunha de Jeová… A Declaração Universal dos Direitos Humanos adotada pelos 58 estados membros conjunto das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948, no Palais de Chaillot em Paris, (França), definiu a liberdade de religião e de opinião no seu artigo 18:
‘Todo o homem tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião; este direito inclui a liberdade de mudar de religião ou crença e a liberdade de manifestar essa religião ou crença, pelo ensino, pela prática, pelo culto e pela observância, isolada ou coletivamente, em público ou em particular’.
A liberdade de crença é inviolado e esta na constituição brasileira desde de 1988 e estabelece que a liberdade de crença é a segurado o livre exercício dos cultos religiosos e a proteção de espaços de cultos e liturgias. Quando Igrejas, Capelas e centros de reunião não são atingidos, o populacho, vândalos ou intolerantes, partem para a agressão como aconteceu (...) com as Testemunhas de Jeová na Rússia.
Há muita desinformação quando se discute a liberdade de expressão e como qualquer garantia constitucional ela não é um direito ilimitado. Nem em nome desse direito pode se atropelar outros como a liberdade religiosa e a proteção aos locais de cultos e adoração. Liberdade de expressão não é salvo-conduto para o desrespeito, não garante o direito de insultar, afrontar e de ofender.
A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias acredita na importância de defender e preservar a liberdade religiosa em todo mundo. Discursos significativos proferidos pelas autoridades gerais da Igreja de Jesus Cristo abordam a posição da Igreja com relação à liberdade religiosa. Também vemos os esforços da mesma, em participar de fóruns religiosos em varias partes do Brasil e do exterior com diversas entidades religiosas.
Católicos, Protestantes, Adventistas, Afro-Brasileira, Judaísmo, Budismo, Induísmo, entre outras… Como bem diz a 11º Regra de fé: ‘Pretendemos o privilégio de adorar a Deus Todo-Poderoso de acordo com os ditames de nossa própria consciência; e concedemos a todos os homens o mesmo privilégio, deixando-os adorar como, onde ou o que desejarem’.”

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Reunindo a Família de Deus


Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência
Meus queridos irmãos e irmãs, eu me regozijo com a oportunidade de estar com vocês no início desta sessão da conferência geral. Congratulo-me com você mais calorosamente.
A conferência geral sempre foi um tempo de reunião para os Santos dos Últimos Dias. Há muito que não temos a capacidade de reunir-nos fisicamente em um só lugar, mas o Senhor providenciou maneiras para que as bênçãos da conferência geral alcançassem você, não importa onde você esteja. Embora seja impressionante ver a reunião de santos neste grande Centro de Conferências, nós que estamos neste púlpito sempre temos em mente os milhões de pessoas que estão reunidas conosco ao redor do mundo para assistir e ouvir a conferência. Muitos de vocês estão reunidos com suas famílias; Alguns podem ser reunidos com amigos ou companheiros membros da Igreja.
Onde quer que você esteja e, no entanto, você está ouvindo minha voz, saiba que mesmo que você não esteja conosco pessoalmente, sentimos que você está conosco em espírito. Esperamos que todos vocês sintam um com nós - que vocês sentirão o poder espiritual que vem sempre que um corpo de crentes se reúne em nome de Jesus Cristo.
Fiquei impressionado em falar com vocês hoje sobre outro tipo de encontro. Este tipo não acontece somente cada seis meses, como a conferência geral faz. Em vez disso, tem acontecido continuamente desde os primeiros dias da Restauração da Igreja, e tem se acelerado nos últimos anos. Refiro-me à reunião da família de Deus.
Para descrever esse encontro, talvez seja melhor começar antes de nascermos, antes do que a Bíblia chama de "o princípio" ( Gênesis 1: 1 ). Naquele tempo, vivemos com o Pai Celestial como Seus filhos espirituais. Isto é verdade para cada pessoa que já viveu na terra.
Você vê, os nomes "irmão" e "irmã" não são apenas saudações amigáveis ​​ou termos de carinho para nós. Eles são uma expressão de uma verdade eterna: Deus é o Pai literal de toda a humanidade; Somos cada parte de Sua família eterna. Porque Ele nos ama com o amor de um Pai perfeito, Ele quer que avançemos e avancemos e nos tornemos como Ele. Ele ordenou um plano pelo qual iríamos para a terra, em famílias, e ter experiências que nos preparariam para retornar a Ele e viver como Ele vive.
O elemento central deste plano era a promessa de que Jesus Cristo se ofereceria como um sacrifício, para nos resgatar do pecado e da morte. Nossa tarefa nesse plano é aceitar o sacrifício do Salvador obedecendo às leis e ordenanças do evangelho. Você e eu aceitamos este plano. Na verdade, nos regozijamos nele, mesmo que significasse que deixariamos a presença de nosso Pai e esqueceríamos o que tínhamos experimentado lá com Ele.
Mas não fomos enviados aqui completamente no escuro. Cada um de nós recebeu uma porção da luz de Deus, chamada de "Luz de Cristo", para nos ajudar a distinguir entre o bem eo mal, o certo eo errado. É por isso que mesmo aqueles que vivem com pouco ou nenhum conhecimento do plano do Pai ainda podem sentir, em seus corações, que certas ações são justas e morais enquanto outras não.
Nosso senso de certo e errado parece especialmente interessado quando estamos criando nossos filhos. Inata em quase todos os pais é o desejo de ensinar as virtudes morais de seus filhos. Isso faz parte do milagre do plano do Pai Celestial. Ele quer que Seus filhos venham à Terra, seguindo o padrão eterno de famílias que existem no céu. As famílias são a unidade organizacional básica dos reinos eternos, e por isso Ele pretende que eles também sejam a unidade básica na terra. Embora as famílias terrenas estejam longe de serem perfeitas, dão aos filhos de Deus a melhor chance de serem bem-vindas ao mundo com o único amor na terra que se aproxima do que sentimos no amor celestial. As famílias também são a melhor maneira de preservar e transmitir as virtudes morais e os verdadeiros princípios que são mais propensos a nos levar de volta à presença de Deus.
Apenas uma pequena minoria dos filhos de Deus obtém durante esta vida uma compreensão completa do plano de Deus, juntamente com o acesso às ordenanças e pactos do sacerdócio que tornam o poder expiatório do Salvador plenamente operacional em nossas vidas. Mesmo aqueles com o melhor dos pais podem viver fielmente de acordo com a luz que têm, mas nunca ouvir sobre Jesus Cristo e Sua Expiação ou ser convidados a ser batizados em Seu nome. Isso tem sido verdade para inúmeros milhões de nossos irmãos e irmãs em toda a história do mundo.
Alguns podem considerar isso injusto. Eles podem até levá-la como prova de que não há nenhum plano, nenhum requisito específico para a salvação - sentindo que um Deus justo e amoroso não criaria um plano que está disponível para uma proporção tão pequena de Seus filhos. Outros podem concluir que Deus deve ter determinado antecipadamente qual dos Seus filhos Ele salvaria e colocaria o evangelho à disposição deles, enquanto aqueles que nunca ouviram o evangelho simplesmente não foram "escolhidos".
Mas você e eu sabemos, por causa das verdades restauradas através do Profeta Joseph Smith, que o plano de Deus é muito mais amoroso e justo do que isso. Nosso Pai Celestial está ansioso para reunir e abençoar toda a Sua família. Embora Ele saiba que nem todos eles escolherão ser reunidos, Seu plano dá a cada um de Seus filhos a oportunidade de aceitar ou rejeitar Seu convite. E as famílias estão no coração deste plano.
Há séculos, o profeta Malaquias disse que, num dia próximo, Deus enviaria Elias para "converter o coração dos pais aos filhos eo coração dos filhos para seus pais" ( Malaquias 4: 6 ).
Esta profecia era tão importante que o Salvador citou quando visitou as Américas após Sua Ressurreição (ver 3 Néfi 25: 5-6 ). E quando o anjo Morôni visitou o Profeta Joseph Smith, ele também citou a profecia sobre Elias e corações, pais e filhos (veja Joseph Smith-History 1: 36-39 ).
Hoje é 1 de abril. Dois dias a partir de agora, 3 de abril, marca 181 anos a partir do dia em que a profecia de Malaquias foi cumprida. Naquele dia, Elias veio, e deu a Joseph Smith o poder do sacerdócio para selar famílias eternamente (ver D & C 110: 13-16 ).
A partir desse dia, o interesse em explorar a história da família cresceu exponencialmente. A taxas cada vez maiores, as pessoas parecem atraídos por sua ascendência com mais do que apenas curiosidade casual. Bibliotecas genealógicas, associações e tecnologias surgiram em todo o mundo para apoiar esse interesse. O poder da Internet para melhorar as comunicações tem permitido que as famílias trabalhem juntas para fazer a pesquisa de história da família com uma velocidade e um rigor nunca antes possíveis.
Por que tudo isso está acontecendo? Por falta de um termo melhor, nós o chamamos de "espírito de Elias". Poderíamos também chamá-lo de "cumprimento da profecia". Presto testemunho de que Elias veio. Os corações dos filhos - de você e de mim - giraram para nossos pais, nossos antepassados. A afeição que você sente por seus antepassados ​​é parte do cumprimento dessa profecia. É profundamente assentado em seu sentido de quem você é. Mas tem a ver com mais do que apenas o DNA herdado.
Por exemplo, à medida que você segue os promptings para aprender sobre sua história familiar, você pode descobrir que um parente distante compartilha alguns de seus traços faciais ou seu interesse em livros ou seu talento para cantar. Isso poderia ser muito interessante e até perspicaz. Mas se seu trabalho parar lá, você sentirá que algo está faltando. Isso porque reunir e unir a família de Deus requer mais do que apenas sentimentos quentes. Requer convênios sagrados feitos em conexão com as ordenanças do sacerdócio.
Muitos de seus antepassados ​​não receberam essas ordenanças. Mas na providência de Deus, você fez. E Deus sabia que você se sentiria atraído por seus antepassados ​​apaixonados e que teria a tecnologia necessária para identificá-los. Ele também sabia que você viveria em um tempo em que o acesso aos templos sagrados, onde as ordenanças podem ser realizadas, seria maior do que nunca na história. E Ele sabia que Ele poderia confiar em você para realizar este trabalho em favor de seus antepassados.
Claro, todos nós temos muitas responsabilidades urgentes e importantes que precisam de nossa atenção e tempo. Todos nós encontramos partes do que o Senhor espera que façamos além de nossas habilidades. Felizmente, o Senhor oferece uma maneira para cada um de nós para ganhar confiança e satisfação em todos os nossos serviços, incluindo o serviço de história da família. Nós ganhamos força para fazer o que Ele pede através da nossa fé que o Salvador não dá mandamento "a não ser que prepare um caminho para [nós], para que possamos realizar aquilo que ele manda" ( 1 Néfi 3: 7 ).
Eu sei que isso é verdade da experiência. Há muitos anos, como estudante universitário, conheci um homem que trabalhava para uma das maiores empresas de informática do mundo. Isso aconteceu nos primeiros dias da computação, e aconteceu que sua empresa o enviara para vender computadores para A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias.
Tanto quanto eu poderia dizer, este vendedor não tinha fé religiosa. No entanto, ele disse com admiração e exasperação: "Nesta igreja eles estavam fazendo o que eles chamavam de" genealogia ", procurando nomes de pessoas que estão mortas, tentando identificar seus ancestrais. As pessoas, na sua maioria mulheres, estavam correndo entre os armários, procurando em pequenas cartas para obter informações. "Se bem me lembro, ele disse que as senhoras estavam usando sapatos de tênis para que pudessem correr um pouco mais rápido. O homem continuou: "Como eu vi a magnitude do que eles estavam tentando fazer, eu percebi que eu tinha descoberto a razão para a invenção de computadores."
Bem, ele estava parcialmente certo. Computadores seria uma parte importante do futuro do trabalho de história da família - não apenas os computadores que ele estava vendendo. Um líder inspirado da Igreja escolheu não comprar seus computadores. A Igreja deveria esperar pela tecnologia que naquele tempo ainda não tinha sido imaginada. Mas eu aprendi nos muitos anos desde que até mesmo a melhor tecnologia nunca pode ser um substituto para a revelação do céu, como o tipo que o líder da Igreja recebeu. Esta é uma obra espiritual, e o Senhor a dirige através de Seu Espírito Santo.
Apenas algumas semanas atrás, eu estava trabalhando em minha história familiar com um consultor ao meu lado e outro auxiliar no telefone. Na tela do computador diante de mim havia um problema além do meu poder mortal de resolver. Eu vi dois nomes, enviados para mim pelas maravilhas da tecnologia, de pessoas que poderiam estar esperando por uma ordenança do templo. Mas o problema era que os nomes eram diferentes, mas havia uma razão para acreditar que eles poderiam ser a mesma pessoa. Minha tarefa era determinar o que era verdade.
Pedi aos meus consultores para me dizerem. Eles disseram: "Não, você deve escolher." E eles estavam completamente certos de que eu iria descobrir a verdade. O computador, com todo o seu poder e informações, tinha me deixado a bênção de encarar esses nomes em uma tela, avaliando as informações disponíveis, buscando outras pesquisas, orando em silêncio e descobrindo o que era verdade. Enquanto rezava, sabia com certeza o que fazer - assim como em outras situações em que precisava confiar na ajuda do céu para resolver um problema.
Não sabemos que maravilhas Deus vai inspirar as pessoas a criar para ajudar na Sua obra de reunir Sua família. Mas, quaisquer que sejam as invenções maravilhosas, seu uso exigirá que o Espírito trabalhe em pessoas como você e eu. Isso não deveria nos surpreender. Afinal de contas, estes são amados filhos e filhas de Deus. Ele enviará qualquer inspiração necessária para lhes dar a oportunidade de retornar a Ele.
Nos últimos anos, os jovens da Igreja têm respondido ao espírito de Elias de uma forma inspiradora. Muitos agora mantêm sua própria recomendação de templo de uso limitado e usam-na freqüentemente. Os baptistris do Templo estão mais ocupados do que nunca; Alguns templos até tiveram de ajustar seus horários para acomodar o aumento do número de jovens que freqüentavam o templo.
Costumava ser uma exceção rara, mas bem-vinda, para os jovens trazerem os nomes de seus antepassados ​​ao templo. Agora esta é a norma, e muitas vezes são os próprios jovens que encontraram esses ancestrais.
Além disso, muitos jovens descobriram que dar seu tempo para fazer pesquisa de história da família e trabalho no templo aprofundou seu testemunho do plano de salvação. Aumentou a influência do Espírito em suas vidas e diminuiu a influência do adversário. Ela os ajudou a se sentir mais próximos de suas famílias e mais perto do Senhor Jesus Cristo. Eles aprenderam que esta obra não salva apenas os mortos; Ele salva todos nós (ver D & C 128: 18 ).
Os jovens captaram admiravelmente a visão; Agora seus pais precisam se recuperar. Agora há muitas pessoas que aceitaram o batismo no mundo espiritual por causa do trabalho feito pelos jovens, e estão esperando por outras ordenanças que só os adultos podem realizar nos templos neste mundo. O trabalho de reunir a família do Pai Celestial não é apenas para os jovens, e não é apenas para os avós. É para todos. Somos todos coletores.
Este é o trabalho de nossa geração, o que o apóstolo Paulo chamou de "a dispensação da plenitude dos tempos", quando disse que Deus "reuniria em uma só coisa todas as coisas em Cristo, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra; Mesmo nele "( Efésios 1:10 ). Isso é possível através da obra expiatória do Filho Amado de Deus, Jesus Cristo. Por causa dele, os membros da nossa família ", que às vezes estavam longe, são aproximados pelo sangue de Cristo. Porque ele é a nossa paz, que fez os dois, e derrubou a parede do meio do tabernáculo entre nós "( Efésios 2: 13-14 ). Você sentiu isso, como eu, quando experimentou um aumento de amor ao olhar para o retrato de um antepassado. Você o sentiu no templo quando o nome em um cartão pareceu mais do que um nome,
Testifico que Deus, o Pai, quer que Seus filhos voltem para casa, nas famílias e na glória. O Salvador vive. Ele dirige e abençoa esta obra, e Ele vigia e nos guia. Ele agradece por seu serviço fiel na reunião da família de Seu Pai, e eu prometo a ajuda inspirada que você procura e precisa. Em nome de Jesus Cristo. Amém.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

7 MANEIRAS DE COMO VENCER OS PENSAMENTOS SUICIDAS

Um sinistro jogo viral tem causado alarme no mundo todo. É o jogo da Baleia Azul, disputado pelas redes sociais, que propõe desafios macabros aos adolescentes, como bater fotos assistindo a filmes de terror, automutilar-se, ficar doente e, na etapa final, cometer suicídio.


Aparentemente o fenômeno começou na Rússia, mas está se espalhando – inclusive no Brasil. Depois de investigar a causa destes e outros suicídios cometidos por jovens, a polícia ligou os fatos a um grupo que participava de um desafio com 50 missões, sendo a última delas acabar com a própria vida. Tudo na internet se espalha muito rápido, mesmo as coisas mais inacreditáveis. Neste caso não é diferente. O fenômeno ganhou visibilidade e vem se alastrando pelo mundo. Em alguns países, como Inglaterra, França e Romênia, as escolas têm feito alertas às famílias, depois que adolescentes apareceram com cortes nos braços, queimaduras e outros sinais de mutilação.

O comportamento suicida e as conversas relacionadas a isso são geralmente um pedido de ajuda. Esteja atento a declarações como: “Não me importo se vou viver ou se vou morrer” ou “Todos seriam melhores sem mim”. Nunca ignore uma conversa relacionada ao suicídio ou quaisquer sinais que seu amigo pode lhe dar, tais como quando seu amigo:
  • Sempre quer ficar sozinho.
  • Está de mau humor ou irritado.
  • Tem uma mudança repentina de personalidade.
  • Está usando drogas ou álcool.
  • Está dormindo muito ou pouco.
  • Está doando suas coisas.
  • Expressa sentimentos de desesperança, sente-se encurralado e pensa que não tem motivos para viver.
  • Fala sobre se matar ou se ferir.
Se você ou algum conhecido está pensando em cometer suicídio, busque ajuda imediatamente. Busque ajuda antes de qualquer coisa. Conte a seus pais, a seu bispo ou a um adulto em quem você confia. Não permita que o medo, a vergonha ou o constrangimento o impeçam de obter ajuda para si mesmo ou para alguém com quem você se importa. Uma vida está em jogo. Neste momento, pode parecer que seus problemas vão durar para sempre, mas você não tem ideia de como será o amanhã ou a próxima semana. Você pode resolver seus problemas e tomar medidas para melhorar. As coisas vão melhorar. O Presidente Dieter F. Uchtdorf disse: “Mesmo depois da mais tenebrosa noite, o Salvador do mundo vai conduzi-los a uma gradual, agradável e brilhante alvorada que, sem dúvida, vai despontar dentro de vocês” (“A Esperança da Luz de Deus”, A Liahona, maio de 2013). Portanto, fique firme; há esperança!


“Não há dor física, tribulação espiritual, angústia da alma ou sofrimento, enfermidade ou fraqueza que enfrentaremos na mortalidade que o Salvador não vivenciou antes de nós. (…) Ele pode nos auxiliar, tocar, socorrer, curar e fortalecer para que sejamos mais do que jamais poderíamos ser e nos ajudar a fazer o que jamais poderíamos fazer se dependêssemos somente de nossa própria força.” Élder David A. Bednar, do Quórum dos Doze Apóstolos, “Carregar Seus Fardos com Facilidade”, A Liahona, maio de 2014, p. 90.


Aqui Estão 7 Maneiras de Evitar Um Suicídio:

Você pode criar um plano de segurança para que, caso tenha pensamentos de autoagressão, possa começar no passo 1 e prosseguir ao longo dos passos até se sentir seguro. A melhor hora para criar seu plano é antes de se ver numa crise. Guarde seu plano num lugar onde possa acessá-lo com facilidade, como no seu celular. Há sites da Internet e aplicativos que têm modelos úteis para preencher, ou você pode criar um plano com a ajuda de um especialista (ver passo 6 a seguir) ou sozinho usando estas sugestões:
1. Reconhecer os sinais de alerta.
Que tipos de pensamentos, estados de espírito e comportamentos o informam de que uma crise pode estar se desenvolvendo? Descreva-os com suas próprias palavras. Por exemplo: “Quando cancelo todas as minhas atividades e só quero dormir”. “Quando tenho pensamentos recorrentes de que sou um fardo.” “Quando me sinto agitado como se precisasse fazer algo imediatamente para livrar-me da dor.” Ao notar esses sinais de alerta, isso pode ajudá-lo a saber que precisa ativar seu plano.
2. Tente acalmar-se e consolar-se.
Crie uma lista de atividades tranquilizadoras e relaxantes que você pode realizar quando tiver pensamentos ou a compulsão de ferir-se. Exemplos disso podem incluir dar uma caminhada, tomar um banho quente, exercitar-se, orar ou escrever no diário.
3. Pense em motivos para viver.
Às vezes, a dor pode tragar os pensamentos positivos. Crie uma lista para lembrá-lo das pessoas que você ama, coisas que gosta de fazer e bênçãos pelas quais sentiu gratidão.
4. Estenda a mão para outros e peça ajuda.
Faça uma lista de várias pessoas (com o número de telefone) com quem você pode conversar ou que estão dispostas e disponíveis para ajudá-lo pelo restante de seu plano de segurança durante uma crise. Essas pessoas podem incluir amigos, membros da ala e familiares.
5. Certifique-se de estar num ambiente seguro.
Isso pode envolver pedir a alguém que remova coisas que você provavelmente usaria para ferir-se, ou ir para outro lugar até que os sentimentos mudem. Faça uma lista de ambientes sociais — como parques, ginásios, cinemas, etc. — que são seguros e que o distraiam.

6. Caso sinta vontade de ferir-se, contate um profissional.
Faça uma lista de nomes, telefones e endereços de clínicas, prontos-socorros e telefones de auxílio a emergências. O site suicide.org/international-suicide-hotlines.html tem uma lista de telefones de dezenas de países. Nos Estados Unidos, por exemplo, o número é 1-800-273-TALK.

7. Depois de fazer isso, se ainda não se sentir seguro, ligue para o serviço de resgate ou dirija-se ao hospital mais próximo e peça ajuda.

Doug Thomas
Assistente social clínico credenciado

Elias Rozendo - Colunista